Como saber se tenho melasma no rosto

Tempo de leitura: 3 min

Escrito por
em 09/02/2024

Compartilhe

O que é melasma?

O melasma é uma condição de pele comum que causa manchas escuras e irregulares no rosto. Também conhecido como cloasma, o melasma é mais comum em mulheres e geralmente ocorre durante a gravidez ou devido a alterações hormonais. No entanto, também pode afetar homens e pessoas que não estão grávidas. As manchas de melasma geralmente aparecem nas bochechas, testa, nariz e lábio superior, e podem variar em tamanho e intensidade de cor.

Causas do melasma

O melasma é causado pelo aumento da produção de melanina, o pigmento responsável pela cor da pele. Existem vários fatores que podem desencadear o melasma, incluindo:

  • Hormônios: alterações hormonais, como gravidez, uso de pílulas anticoncepcionais ou terapia de reposição hormonal, podem desencadear o melasma.
  • Exposição ao sol: a exposição excessiva ao sol sem proteção adequada pode piorar o melasma e tornar as manchas mais escuras.
  • Genética: pessoas com histórico familiar de melasma têm maior probabilidade de desenvolver a condição.
  • Produtos de cuidados com a pele: certos produtos de cuidados com a pele, como perfumes ou cosméticos, podem irritar a pele e desencadear o melasma.

Sintomas do melasma

O principal sintoma do melasma são as manchas escuras e irregulares no rosto. Essas manchas geralmente têm bordas bem definidas e podem variar em tamanho e intensidade de cor. Além disso, o melasma não causa dor ou coceira na pele. No entanto, algumas pessoas podem sentir desconforto emocional devido à aparência das manchas.

Diagnóstico do melasma

O diagnóstico do melasma geralmente é feito por um dermatologista, que examinará a pele e perguntará sobre os sintomas e histórico médico do paciente. Em alguns casos, pode ser necessário realizar um teste adicional, como uma biópsia da pele, para descartar outras condições de pele.

Tratamento para melasma

O tratamento para melasma geralmente envolve uma combinação de medidas de cuidados com a pele e procedimentos médicos. Alguns dos tratamentos mais comuns incluem:

  • Protetor solar: usar protetor solar diariamente é essencial para prevenir o agravamento do melasma e proteger a pele dos raios UV prejudiciais.
  • Cremes clareadores: cremes contendo ingredientes como hidroquinona, ácido azelaico ou ácido kójico podem ajudar a clarear as manchas de melasma.
  • Procedimentos médicos: em casos mais graves de melasma, podem ser recomendados procedimentos médicos, como peelings químicos, microdermoabrasão ou laser.
  • Terapia hormonal: em alguns casos, a terapia hormonal pode ser usada para tratar o melasma, especialmente em mulheres que apresentam alterações hormonais como causa da condição.

Prevenção do melasma

Embora o melasma não possa ser completamente prevenido, existem algumas medidas que podem ajudar a reduzir o risco de desenvolver a condição. Algumas dicas de prevenção incluem:

  • Usar protetor solar diariamente, mesmo em dias nublados.
  • Evitar a exposição excessiva ao sol, especialmente durante as horas de pico.
  • Usar chapéus de abas largas e roupas de proteção solar.
  • Evitar o uso de produtos de cuidados com a pele que possam irritar a pele.
  • Manter uma rotina de cuidados com a pele adequada, incluindo limpeza, hidratação e proteção solar.

Convivendo com o melasma

O melasma pode ser uma condição persistente e pode afetar a autoestima e a confiança de uma pessoa. É importante lembrar que o melasma não é prejudicial à saúde e não representa um risco para o corpo. No entanto, se o melasma estiver causando desconforto emocional, é recomendável procurar apoio emocional e considerar opções de tratamento para ajudar a clarear as manchas e melhorar a aparência da pele.

Considerações finais

O melasma é uma condição de pele comum que causa manchas escuras e irregulares no rosto. Embora não haja cura para o melasma, existem várias opções de tratamento disponíveis para ajudar a clarear as manchas e melhorar a aparência da pele. É importante consultar um dermatologista para obter um diagnóstico adequado e discutir as opções de tratamento mais adequadas para cada caso.

Compartilhe

Você vai gostar também: