Onde encontrar gordura visceral

Tempo de leitura: 5 min

Escrito por
em 10/02/2024

Compartilhe

Onde encontrar gordura visceral

A gordura visceral é um tipo de gordura que se acumula na região abdominal, envolvendo os órgãos internos como o fígado, o estômago e os intestinos. Essa gordura é considerada mais perigosa do que a gordura subcutânea, pois está associada a um maior risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2 e outras condições de saúde. Neste glossário, vamos explorar onde encontrar gordura visceral e como combatê-la.

1. Abdomen

O abdômen é uma das principais áreas onde a gordura visceral se acumula. Ela pode se depositar tanto na parte superior do abdômen, conhecida como gordura visceral subcutânea, quanto na parte inferior, conhecida como gordura visceral intra-abdominal. A gordura visceral no abdômen pode ser identificada através de um aumento da circunferência da cintura e um abdômen protuberante.

2. Fígado

O fígado é um órgão vital que desempenha diversas funções no organismo, como a produção de bile, o metabolismo de nutrientes e a desintoxicação de substâncias nocivas. No entanto, quando há um acúmulo excessivo de gordura visceral no fígado, ocorre o que é conhecido como esteatose hepática, ou seja, o fígado fica infiltrado de gordura. A esteatose hepática está associada a um maior risco de desenvolvimento de doenças hepáticas, como a cirrose.

3. Intestinos

Os intestinos são responsáveis pela absorção de nutrientes e pela eliminação de resíduos do organismo. Quando há um acúmulo de gordura visceral nos intestinos, pode ocorrer uma redução na capacidade de absorção de nutrientes, o que pode levar a deficiências nutricionais. Além disso, a gordura visceral nos intestinos também pode interferir no funcionamento adequado do sistema digestivo, causando problemas como constipação e diarreia.

4. Estômago

O estômago é responsável pela digestão dos alimentos e pela liberação de enzimas digestivas. Quando há um acúmulo de gordura visceral no estômago, pode ocorrer uma compressão dos órgãos adjacentes, o que pode levar a problemas como refluxo gastroesofágico e dificuldade na digestão dos alimentos. Além disso, a gordura visceral no estômago também está associada a um maior risco de desenvolvimento de úlceras e câncer gástrico.

5. Coração

O coração é o órgão responsável por bombear o sangue para todo o corpo, fornecendo oxigênio e nutrientes essenciais para o funcionamento adequado dos tecidos e órgãos. Quando há um acúmulo de gordura visceral ao redor do coração, ocorre o que é conhecido como gordura pericárdica. Essa gordura pode exercer pressão sobre o coração, dificultando o seu funcionamento e aumentando o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, como a hipertensão arterial e o infarto do miocárdio.

6. Pâncreas

O pâncreas é um órgão que desempenha um papel fundamental na regulação dos níveis de açúcar no sangue, produzindo insulina e outros hormônios. Quando há um acúmulo de gordura visceral no pâncreas, ocorre o que é conhecido como esteatose pancreática. Essa condição está associada a um maior risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2, uma vez que a gordura visceral interfere na produção e na ação da insulina.

7. Músculos

Embora a gordura visceral seja mais comumente associada aos órgãos internos, ela também pode se acumular nos músculos. O acúmulo de gordura visceral nos músculos pode levar a uma redução da força e da resistência muscular, além de interferir na capacidade de realizar atividades físicas. Além disso, a gordura visceral nos músculos também está associada a um maior risco de desenvolvimento de doenças musculoesqueléticas, como a osteoartrite.

8. Rins

Os rins são responsáveis pela filtragem do sangue, removendo as substâncias tóxicas e o excesso de água do organismo. Quando há um acúmulo de gordura visceral nos rins, ocorre o que é conhecido como esteatose renal. Essa condição está associada a um maior risco de desenvolvimento de doenças renais, como a insuficiência renal crônica. Além disso, a gordura visceral nos rins também pode interferir na regulação adequada da pressão arterial.

9. Pulmões

Embora os pulmões sejam órgãos principalmente responsáveis pela respiração, eles também podem ser afetados pelo acúmulo de gordura visceral. A gordura visceral nos pulmões pode exercer pressão sobre esses órgãos, dificultando a expansão e a contração adequada dos pulmões durante a respiração. Isso pode levar a problemas como falta de ar e redução da capacidade pulmonar.

10. Artérias

As artérias são responsáveis por transportar o sangue rico em oxigênio e nutrientes para os tecidos e órgãos do corpo. Quando há um acúmulo de gordura visceral nas artérias, ocorre o que é conhecido como aterosclerose. Essa condição está associada a um maior risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, como a doença arterial coronariana e o acidente vascular cerebral.

11. Tecido Adiposo

O tecido adiposo é o tecido responsável pelo armazenamento de energia na forma de gordura. Quando há um acúmulo excessivo de gordura visceral no tecido adiposo, ocorre o que é conhecido como obesidade visceral. A obesidade visceral está associada a um maior risco de desenvolvimento de diversas doenças, como a síndrome metabólica, a esteatose hepática e o diabetes tipo 2.

12. Sistema Nervoso

O sistema nervoso é responsável por controlar e coordenar as funções do organismo, transmitindo sinais elétricos entre os diferentes órgãos e tecidos. Quando há um acúmulo de gordura visceral no sistema nervoso, ocorre o que é conhecido como obesidade neurogênica. Essa condição está associada a um maior risco de desenvolvimento de doenças neurológicas, como a doença de Alzheimer e o acidente vascular cerebral.

13. Pele

A pele é o maior órgão do corpo humano e desempenha diversas funções, como a proteção contra agentes externos, a regulação da temperatura corporal e a percepção sensorial. Quando há um acúmulo de gordura visceral na pele, ocorre o que é conhecido como obesidade cutânea. A obesidade cutânea está associada a um maior risco de desenvolvimento de doenças dermatológicas, como a acne e a celulite.

Em resumo, a gordura visceral pode ser encontrada em diversas partes do corpo, como o abdômen, o fígado, os intestinos, o estômago, o coração, o pâncreas, os músculos, os rins, os pulmões, as artérias, o tecido adiposo, o sistema nervoso e a pele. É importante estar ciente dos riscos associados ao acúmulo de gordura visceral e adotar medidas para combatê-la, como a prática regular de exercícios físicos, uma alimentação saudável e a redução do estresse. Consultar um profissional de saúde também é fundamental para receber orientações adequadas e personalizadas.

Compartilhe

Você vai gostar também: