Quais tratamentos para melasma

Tempo de leitura: 5 min

Escrito por
em 09/02/2024

Compartilhe

Tratamentos para melasma: conheça as opções disponíveis

O melasma é uma condição de pele caracterizada pelo surgimento de manchas escuras, principalmente no rosto. Essas manchas podem ser resultado de diversos fatores, como exposição ao sol, alterações hormonais e predisposição genética. Para tratar o melasma, é importante contar com a orientação de um dermatologista, que poderá indicar o melhor tratamento para cada caso. Neste glossário, vamos apresentar algumas opções de tratamentos para melasma, destacando suas características e benefícios.

1. Cremes clareadores

Os cremes clareadores são uma das opções mais comuns para o tratamento do melasma. Esses produtos contêm substâncias que ajudam a reduzir a produção de melanina, pigmento responsável pela coloração da pele. Entre os ativos mais utilizados estão a hidroquinona, o ácido kójico e o ácido azelaico. É importante ressaltar que o uso desses cremes deve ser acompanhado por um dermatologista, pois o uso incorreto ou em excesso pode causar irritações na pele.

2. Peeling químico

O peeling químico é um procedimento estético que consiste na aplicação de substâncias químicas na pele, com o objetivo de promover a descamação das camadas superficiais. No caso do melasma, o peeling químico pode ajudar a clarear as manchas, estimulando a renovação celular e a produção de colágeno. Existem diferentes tipos de peeling químico, como o superficial, o médio e o profundo, e a escolha do tipo mais adequado dependerá da gravidade do melasma e das características da pele do paciente.

3. Laser

O tratamento a laser é uma opção eficaz para o melasma, especialmente quando as manchas são mais profundas e resistentes. O laser atua na destruição seletiva das células produtoras de melanina, promovendo o clareamento das manchas. Existem diferentes tipos de laser que podem ser utilizados no tratamento do melasma, como o laser de CO2 fracionado e o laser de Nd:YAG. É importante ressaltar que o tratamento a laser deve ser realizado por um profissional qualificado, pois o uso incorreto pode causar queimaduras e outras complicações.

4. Microagulhamento

O microagulhamento é um procedimento estético que utiliza um aparelho com microagulhas para perfurar a pele, estimulando a produção de colágeno e a regeneração celular. No caso do melasma, o microagulhamento pode ajudar a clarear as manchas, além de melhorar a textura e a aparência da pele. O procedimento é realizado com o uso de anestesia local e pode causar um pouco de desconforto durante a aplicação. É importante ressaltar que o microagulhamento deve ser realizado por um profissional qualificado, seguindo todas as normas de segurança e higiene.

5. Terapia fotodinâmica

A terapia fotodinâmica é um tratamento que combina a aplicação de um medicamento fotossensibilizante e a exposição à luz intensa pulsada. No caso do melasma, a terapia fotodinâmica pode ajudar a clarear as manchas, além de melhorar a textura e a aparência da pele. O procedimento é realizado em consultório médico e pode causar um pouco de desconforto durante a aplicação. É importante ressaltar que a terapia fotodinâmica deve ser realizada por um profissional qualificado, seguindo todas as normas de segurança e higiene.

6. Tratamentos tópicos combinados

Além dos cremes clareadores, existem outros tratamentos tópicos que podem ser combinados para potencializar os resultados no tratamento do melasma. Entre esses tratamentos, podemos citar o uso de ácidos, como o ácido retinoico e o ácido glicólico, e o uso de antioxidantes, como a vitamina C. A combinação desses tratamentos pode ajudar a clarear as manchas, além de melhorar a textura e a aparência da pele. É importante ressaltar que o uso desses tratamentos deve ser acompanhado por um dermatologista, pois o uso incorreto ou em excesso pode causar irritações na pele.

7. Tratamentos orais

Em alguns casos, o dermatologista pode indicar o uso de medicamentos orais para o tratamento do melasma. Esses medicamentos podem ajudar a regular a produção de melanina, reduzindo a intensidade das manchas. Entre os medicamentos mais utilizados estão os antioxidantes, como o ácido tranexâmico e o polypodium leucotomos. É importante ressaltar que o uso desses medicamentos deve ser acompanhado por um dermatologista, pois o uso incorreto ou em excesso pode causar efeitos colaterais.

8. Proteção solar

A proteção solar é fundamental no tratamento do melasma, pois a exposição ao sol pode piorar as manchas. É importante utilizar diariamente um protetor solar com FPS adequado e reaplicá-lo ao longo do dia. Além disso, é recomendado o uso de chapéus, óculos de sol e roupas com proteção UV. É importante ressaltar que a proteção solar deve ser mantida mesmo nos dias nublados ou chuvosos, pois os raios UV estão presentes mesmo nessas condições.

9. Cuidados com a pele

Além dos tratamentos específicos, é importante adotar uma rotina de cuidados com a pele para auxiliar no tratamento do melasma. Isso inclui a limpeza diária da pele, a hidratação adequada e o uso de produtos específicos para o seu tipo de pele. É importante evitar o uso de produtos irritantes ou abrasivos, que podem piorar as manchas. Além disso, é recomendado evitar o uso de maquiagem pesada, que pode obstruir os poros e dificultar a recuperação da pele.

10. Alimentação saudável

A alimentação também pode influenciar no tratamento do melasma. Uma dieta rica em antioxidantes, como frutas, legumes e verduras, pode ajudar a reduzir a intensidade das manchas. Além disso, é importante evitar o consumo excessivo de alimentos ricos em açúcar e gorduras saturadas, que podem piorar as manchas. É importante ressaltar que a alimentação saudável deve ser aliada aos demais tratamentos indicados pelo dermatologista.

11. Evitar fatores desencadeantes

Além dos tratamentos e dos cuidados com a pele, é importante evitar os fatores desencadeantes do melasma. Isso inclui a exposição ao sol sem proteção, o uso de medicamentos fotossensibilizantes, como alguns antibióticos e anti-inflamatórios, e o estresse emocional. Ao identificar esses fatores, é importante evitar ou minimizar sua exposição, para evitar o surgimento ou a piora das manchas.

12. Tratamento contínuo

O tratamento do melasma é contínuo e requer paciência e disciplina. As manchas não desaparecem completamente da noite para o dia e é necessário manter os cuidados e os tratamentos indicados pelo dermatologista a longo prazo. Além disso, é importante realizar consultas de acompanhamento regularmente, para avaliar a evolução do tratamento e fazer ajustes, se necessário.

13. Consulte um dermatologista

Por fim, é fundamental consultar um dermatologista para obter um diagnóstico preciso e um tratamento adequado para o melasma. Cada caso é único e requer uma abordagem personalizada. O dermatologista poderá avaliar a gravidade do melasma, identificar os fatores desencadeantes e indicar os melhores tratamentos para cada paciente. Lembre-se de seguir todas as orientações do dermatologista e não hesite em tirar todas as suas dúvidas durante as consultas.

Compartilhe

Você vai gostar também: