Qual o normal de gordura visceral

Tempo de leitura: 3 min

Escrito por
em 10/02/2024

Compartilhe

Qual o normal de gordura visceral?

A gordura visceral é um tipo de gordura que se acumula ao redor dos órgãos internos, como o fígado, o coração e os rins. Diferente da gordura subcutânea, que fica logo abaixo da pele, a gordura visceral é mais perigosa para a saúde, pois está associada a um maior risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2 e até mesmo certos tipos de câncer.

Para determinar o normal de gordura visceral, é importante entender que cada pessoa possui uma quantidade de gordura visceral considerada saudável. No entanto, existem diretrizes gerais que podem ser seguidas para avaliar se os níveis de gordura visceral estão dentro do esperado.

Índice de Massa Corporal (IMC)

O Índice de Massa Corporal (IMC) é uma medida amplamente utilizada para avaliar se uma pessoa está dentro do peso considerado saudável. No entanto, o IMC não é capaz de distinguir entre a gordura visceral e a gordura subcutânea.

Apesar disso, um IMC elevado pode indicar um maior acúmulo de gordura visceral. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), um IMC entre 18,5 e 24,9 é considerado normal, enquanto um IMC acima de 25 indica sobrepeso e um IMC acima de 30 indica obesidade.

Circunferência da cintura

A circunferência da cintura é uma medida mais precisa para avaliar a quantidade de gordura visceral. A gordura visceral tende a se acumular na região abdominal, então uma circunferência da cintura elevada pode indicar um maior acúmulo de gordura visceral.

Para homens, uma circunferência da cintura acima de 102 centímetros é considerada elevada, enquanto para mulheres, uma circunferência acima de 88 centímetros é considerada elevada.

Tomografia computadorizada

A tomografia computadorizada é o método mais preciso para medir a quantidade de gordura visceral. Através desse exame, é possível obter uma imagem detalhada da gordura ao redor dos órgãos internos.

Os resultados da tomografia computadorizada são expressos em centímetros cúbicos ou em uma escala de 1 a 59, sendo que valores acima de 59 indicam um acúmulo excessivo de gordura visceral.

Impacto na saúde

O acúmulo excessivo de gordura visceral está associado a uma série de problemas de saúde. Além do aumento do risco de doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2 e câncer, a gordura visceral também pode levar ao desenvolvimento de esteatose hepática (acúmulo de gordura no fígado) e síndrome metabólica.

A síndrome metabólica é uma condição caracterizada pela combinação de fatores de risco, como obesidade abdominal, pressão alta, níveis elevados de triglicerídeos e baixos níveis de colesterol HDL. Essa síndrome aumenta significativamente o risco de doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2.

Como reduzir a gordura visceral

A redução da gordura visceral é essencial para melhorar a saúde e reduzir o risco de doenças. Algumas estratégias eficazes incluem:

– Praticar exercícios físicos regularmente, como aeróbicos e treinamento de força;

– Seguir uma dieta equilibrada, rica em frutas, legumes, proteínas magras e grãos integrais;

– Evitar o consumo excessivo de alimentos processados e ricos em gorduras saturadas e trans;

– Controlar o estresse, pois o cortisol, hormônio liberado em situações de estresse, pode contribuir para o acúmulo de gordura visceral;

– Dormir adequadamente, pois a falta de sono está associada ao aumento da gordura visceral;

– Evitar o consumo excessivo de álcool, pois o álcool é convertido em gordura no fígado;

– Consultar um profissional de saúde para orientações específicas e acompanhamento adequado.

Conclusão

A gordura visceral é um tipo de gordura que se acumula ao redor dos órgãos internos e está associada a um maior risco de doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2 e câncer. Para avaliar se os níveis de gordura visceral estão dentro do esperado, é possível utilizar o IMC, a circunferência da cintura e a tomografia computadorizada. A redução da gordura visceral pode ser alcançada através da prática regular de exercícios físicos, uma dieta equilibrada, controle do estresse, sono adequado, evitar o consumo excessivo de álcool e buscar orientação profissional. Cuide da sua saúde e mantenha-se dentro dos níveis normais de gordura visceral.

Compartilhe

Você vai gostar também: