Quanto de gordura visceral é normal

Tempo de leitura: 3 min

Escrito por
em 10/02/2024

Compartilhe

Quanto de gordura visceral é normal?

A gordura visceral é um tipo de gordura que se acumula ao redor dos órgãos internos, como o fígado, o pâncreas e os intestinos. Diferente da gordura subcutânea, que se acumula logo abaixo da pele, a gordura visceral está localizada profundamente no corpo e pode ser um indicador de risco para a saúde.

Para entender quanto de gordura visceral é considerado normal, é importante conhecer os diferentes níveis de gordura visceral e como eles podem afetar a saúde. A quantidade de gordura visceral varia de pessoa para pessoa, mas existem algumas diretrizes gerais que podem ser úteis para avaliar se os níveis estão dentro de uma faixa considerada saudável.

Níveis de gordura visceral

Os níveis de gordura visceral são geralmente medidos por meio de exames de imagem, como a tomografia computadorizada ou a ressonância magnética. Esses exames fornecem uma visão detalhada da quantidade de gordura visceral presente no corpo.

De acordo com especialistas, os níveis de gordura visceral são classificados em três categorias: baixo, moderado e alto. O nível considerado normal varia de acordo com o sexo e a idade da pessoa.

Gordura visceral normal em homens

Em homens adultos, um nível de gordura visceral abaixo de 100 centímetros cúbicos é considerado baixo, entre 100 e 200 centímetros cúbicos é considerado moderado e acima de 200 centímetros cúbicos é considerado alto. No entanto, é importante ressaltar que esses valores podem variar dependendo da idade e do estado de saúde geral do indivíduo.

Além disso, é importante considerar que a distribuição da gordura visceral também pode variar de acordo com a genética e o biotipo de cada pessoa. Algumas pessoas podem ter uma tendência maior a acumular gordura visceral, mesmo com níveis considerados normais.

Gordura visceral normal em mulheres

Em mulheres adultas, os níveis de gordura visceral considerados normais são um pouco mais baixos do que nos homens. Um nível abaixo de 80 centímetros cúbicos é considerado baixo, entre 80 e 150 centímetros cúbicos é considerado moderado e acima de 150 centímetros cúbicos é considerado alto.

Assim como nos homens, esses valores podem variar de acordo com a idade e o estado de saúde geral da mulher. Além disso, a genética e o biotipo também desempenham um papel importante na distribuição da gordura visceral em mulheres.

Impacto da gordura visceral na saúde

A gordura visceral em excesso está associada a um maior risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, hipertensão arterial e outros problemas de saúde. Isso ocorre porque a gordura visceral libera substâncias inflamatórias que podem afetar negativamente o funcionamento dos órgãos internos.

Além disso, a gordura visceral também pode afetar a aparência física, contribuindo para o aumento da circunferência abdominal e a formação de uma barriga saliente. Esses aspectos estéticos podem ter um impacto na autoestima e na qualidade de vida das pessoas.

Como reduzir a gordura visceral

Para reduzir a gordura visceral, é importante adotar um estilo de vida saudável, que inclua uma alimentação equilibrada e a prática regular de atividades físicas. Além disso, é fundamental controlar o estresse, dormir bem e evitar o consumo excessivo de álcool e tabaco.

Uma dieta rica em alimentos naturais, como frutas, legumes, verduras, grãos integrais e proteínas magras, pode ajudar a reduzir a gordura visceral. Além disso, é importante evitar alimentos processados, ricos em gorduras saturadas e açúcares adicionados.

A prática regular de exercícios físicos, como caminhadas, corridas, natação e musculação, também pode ser eficaz na redução da gordura visceral. A combinação de exercícios aeróbicos e de força é especialmente recomendada para obter melhores resultados.

Considerações finais

Em resumo, a quantidade de gordura visceral considerada normal varia de acordo com o sexo, a idade e o estado de saúde geral de cada pessoa. No entanto, é importante lembrar que a gordura visceral em excesso está associada a um maior risco de problemas de saúde, como doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2.

Portanto, é fundamental adotar um estilo de vida saudável, que inclua uma alimentação equilibrada, a prática regular de atividades físicas e o controle do estresse. Consultar um profissional de saúde, como um nutricionista ou um educador físico, também pode ser útil para receber orientações personalizadas e alcançar os melhores resultados na redução da gordura visceral.

Compartilhe

Você vai gostar também: